quinta-feira, 22 de junho de 2017

madrugada de jueves

caritas y 'carotas',
pero no caretas,
sin etiquetas, solo franquezas...
fortalezas y debilidades,
intensidades,
que nos unen en esta experiencia.
no hay manual, no hay ciencia,
solo las ganas de abandonar la caverna

I.R.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

indivisível

a vontade de agir
é o princípio da ação,
e o principal é não me dividir
entre cérebro e coração,
porque o que a biologia uniu,
a literatura não separe...
o de dentro, o de fora,
o que mostro e o que guardo,
é tudo parte do todo,
minha bagagem, não meu fardo

I.R.

domingo, 11 de junho de 2017

tupper

a falta que a fagulha faz
traz a falta da chama.
não há faísca nem centelha,
só o breu que não emparelha,
só o outro, só o eu...
somente a luz,
escondida em vasilhas de plástico,
flash antiestático,
o ceticismo do cético,
carregado de paixão

I.R.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

eu e tu

Foto: Igor Ravasco


filho,
não há estrada ou trilho
que já esteja marcado...
tudo é passageiro,
menos nós,
que devemos dirigir nossos passos
e nos unirmos em abraços com a vida.
talvez deus não exista,
mas resista ao desamor.
vamos deixar nossas sombras,
nossas marcas, por onde passamos.
vamos ser mais humanos...
façamos da ponte
nosso canto de união

I.R.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

ergo

não sou nostálgico da inocência perdida,
com tudo o que isso significa,
com tudo o que isso traz...
a ausência da paz
sem guerra indefinida,
a consciência do inconsciente,
de não ser príncipe nem sapo,
encantador ou encantado,
mas o que vai ao lado...
questiono demais
e todo o tempo piso o rabo
de minhas posições firmes.
penso, logo me contradigo.

I.R.

domingo, 28 de maio de 2017

graxa









passo a limpo meus rascunhos,
lustro meus pensamentos,
enquanto cliques 
e clichês se sucedem...
passado e presente se unem
numa estrela cadente
numa tela candente,
em preto e branco
e em tons de azul...

I.R.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

da antinomia e do antimônio

entre o antônio e o anônimo
há o antônimo,
oposição de ideias,
ser assincrônico...
entre o sim e o sinônimo
não há mulher, homem
ou homônimo,
mas o monótomo,
átomo sem hormônio,
ser sem nome,
senha e harmonia,
fome de caos,
forma de cães que mordem
além de ladrar

I.R.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

disfarce

não oculto nem revelo,
não me descabelo,
eu, inculto, entre ignorantes
conhecedores de tudo.
não sou um livro aberto
nem enciclopédia de consulta...
a paciência é pouca,
a paciência é muita...
na arte do ocultamento
não há encantamento,
mas me disfarço de igor
sempre que vou por aí.

I.R.

sábado, 13 de maio de 2017

arquitetando

o brilho que se vê em cada janela,
não revela o mistério,
não conhece critério,
só ilumina,
como o sol da meia-noite.
a palavra delineada,
escrita ou falada,
desvela os segredos,
desnuda os medos,
arma projetos arquitetônicos...
a arquitetura do sonho,
onde componho o sou

I.R.

terça-feira, 9 de maio de 2017

tempo de alquimia

Foto: Igor Ravasco

no tom do tango,
no som do samba,
não fui tanto nem fui bamba.
não batuquei,
não dancei,
não chorei com a cuíca
nem gemi com o bandoneón...
mas ouvi...
e senti...

e então gemi,
e aí chorei

I.R.